CUNICULTURA: UM MERCADO EM ALTO CRESCIMENTO NO BRASIL

A cunicultura, criação de coelhos, está atraindo cada vez mais o interesse por parte dos criadores. Isto se deve aos seguintes fatores: carne com elevado valor nutricional, pele de excelente qualidade, investimento mínimo na criação, mercado em franco crescimento e demanda maior que a oferta.

CUIDADOS NECESSÁRIOS:

A criação de coelhos requer alguns cuidados básicos em seu manejo para que se torne um sucesso.

  • Existem normas impostas pelas redes de supermercados, que exigem cuidados na criação e que envolvem questões ambientais, sociais e de qualidade de manejo. Quem não cumprir estas normas e exigências está fora do mercado;

  • O mercado de consumo é bem maior que a oferta, porém os criadores precisam se adequar a tais exigências;

  • Cuidado com os atravessadores! Eles sabem quando há falta de produto no mercado, incentivando a produção realizada sem especificações técnicas e necessárias;

  • Podemos verificar que o coelho é um bom negócio em qualquer escala ou em qualquer uma das finalidades mencionadas;

  • Entretanto, devemos chamar a atenção dos criadores e dos que pretendem entrar no negócio. Principalmente porque para se obter bons resultados com uma criação, é necessário que se conheça a fundo este tipo de negócio, pois sem as técnicas necessárias, o criador não alcançará a produção e a produtividade desejadas;

  • Higienização do ambiente: A higienização na cunicultura é importante para o bem estar do animal, pois, além de trazer bactérias, o animal é extremamente sensível a qualquer coisa que o tire do conforto. Situação que pode atrapalhar no processo de reprodução.

  • Separação dos coelhos acontece para o evito de contágios. Animais mais jovens são mais propensos a doenças.

  • Cuidados com a temperatura, a temperatura também está relacionada ao bem estar do animal. Temperaturas amenas os deixam mais calmos, assim evitando conflito entre eles próprio.

MERCADO DA CARNE EM EXPANSÃO

Mesmo que ainda não inserida na cultura alimentar dos brasileiros, a produção de coelhos está em pleno crescimento. A tendência é de que haja maior demanda nos próximos anos, uma vez que a carne é muito saudável e vem ganhando espaço no mercado. 

A carne do coelho, analisando a questão nutricional, é superior às demais, principalmente no que se refere ao baixo colesterol. Além disso, a carne tem alto nível de proteína, igualando a cortes bovinos. Também possui alto teor de cálcio, ferro e fósforo.


PRINCIPAIS RAÇAS DE COELHOS PARA a produção de CARNE


A raça tem grande influência na produção de carne. Embora produzam em maior quantidade, as raças gigantes dão menores rendimentos líquidos e sua carne é de qualidade inferior à das raças médias e pequenas.

O sexo influi, não só na quantidade, mas também na qualidade da carne produzida pois, embora no começo do período de desenvolvimento não haja muita diferença entre fêmeas e machos, com a idade vai aumentando a diferença. As fêmeas dão maior rendimento do que os machos porque o esqueleto, órgãos internos e peles dos machos são relativamente mais pesados.

No que diz respeito à idade, quanto mais velho for o coelho, maior o rendimento em carne e mais firme ela se torna. As raças precoces são as que produzem relativamente maior quantidade de carne em menor tempo, por ser muito grande o seu poder de assimilação de alimentos ou conversão alimentar.

Estudos demonstram que o maior rendimento é obtido quando o coelho está com 2 anos de idade, mas sua carne perde em qualidade e o seu preço de custo é bem maior, não compensando financeiramente.

A qualidade e quantidade de alimentos fornecidos aos animais, principalmente no último mês e a técnica de abate têm grande influência, tanto na quantidade, quanto na qualidade da carne obtida.

As principais raças de coelhos para produção são:


Nova Zelândia

Desenvolvida nos Estados Unidos, é a mais criada no Brasil e no mundo, sobretudo a variedade branca. Há também a vermelha e a preta. É de porte médio, precoce, com grande aptidão para a produção de carne e também pele. O seu peso máximo oscila entre 4,5 Kg para fêmeas e 5 Kg para machos.

É prolífera, precoce, rústica, de excelente carcaça e pele de média categoria, bem aproveitável. As fêmeas são mansas e boas criadeiras, as brancas são melhores que as vermelhas.


Gigante de Bouscat

Desenvolvida na França, foi obtida a partir de cruzamentos de outras raças gigantes com a Angorá, razão pela qual tem pêlos mais compridos do que a maioria dos coelhos. Tem bom rendimento de carcaça e pesa até 7 Kg. Sua aptidão é para carne e para pêlos.

De cor branca, suas orelhas chegam a atingir de 15 a 18 cm de comprimento. Só as fêmeas possuem papada, que é uma prega localizada no pescoço.


Califórnia

Raça americana para carne e pele, surgiu de cruzamentos com a Nova Zelândia e a Chinchila.

Seu peso pode chegar a 4 kg nos machos e 4,5 kg nas fêmeas. Tem um aspecto geral harmonioso e uma ótima pele de pêlos branco-gelo, macios, sedosos e brilhantes. Possuem as extremidades (focinho orelhas, patas e cauda) escuras (quanto mais escura, melhor, sendo ideal a cor preta). É considerada uma das melhores raças, criada em todo o mundo. Os animais dessa raça têm pouca gordura, são volumosos e apresentam boa distribuição da massa muscular.


Azul de Viena

Originário da Áustria, o coelho Azul de Viena é uma das raças de porte médio mais populares, provavelmente por preencher satisfatoriamente os requisitos de dupla utilidade: carne e pele.

Pesa de 3,5 a 5,5 Kg quando adulto, ou 4,5 Kg em média. Pelagem de coloração azul escuro, uniformemente distribuída na parte superior do corpo, descobrindo-se para as extremidades e ventre, que é claro. As tonalidades marrom, preta e clara são indesejáveis, assim como a presença de pêlos brancos. Os pêlos são de comprimento uniforme, lisos, macios e brilhantes, mesmo no ventre.


Belier

A principal característica dessa raça são as orelhas, que chegam a medir 60 cm de comprimento e são caídas, dando um certo charme. Pode ser do tipo Francês e Inglês. O Francês é obtido pelo cruzamento do Belier Inglês com o Gigante de Flandes e coelho Normando. O Inglês é considerado uma raça fantasia.

É um animal rústico e prolífico. É mais tardio, atingindo a idade adulta aos 14 meses. As coelhas são boas criadeiras, os láparos são fáceis de criar, e atingem de 5 a 7 kg quando adultos. É considerado produtor de carne atingindo, em média, 6 kg de peso.


 

Tem interesse em começar no ramo da cunicultura mas não sabe como ou ainda está em dúvida? Vem falar com a ProZoo que te ajudamos em todo os processos necessários para a sua produção decolar!

 

Nos acompanhe em nossas redes sociais!







28 visualizações0 comentário