Ovinocultura no Brasil: Oportunidades para o crescimento de mercado

Além de produtos como lã, leite e derivados, a carne de ovinos tem um mercado consumidor com grande potencial de expansão. A carne de cordeiro tem tido grande aceitação no paladar dos brasileiros, sendo uma carne nobre, e que tem poder para uma produção em larga escala.

Mas afinal, o que é ovinocultura?

Muitas vezes as pessoas mencionam ovelhas, mas não sabem a qual cultura elas pertecem. Pois bem, ovinocultura é a área da Zootecnia que trata do estudo e da criação de ovelhas/ovinos, abrangendo sobre os produtos alimentícios provenientes destes - como carne e embutidos, e leite e derivados - ou sobre outros produtos - como a lã, para a produção de tecidos por exemplo.

No Brasil, a ovinocultura está distribuída em todo o território nacional, tendo uma vasta diversidade de raças, com grande potencial produtivo, mas infelizmente ainda não é tão explorada atualmente.




 

Classificação dos ovinos:

Assim como as demais espécies, os ovinos também são classificados quanto a seu sexo e idade.

Carneiro

É o macho adulto reprodutor, apresenta dentição definitiva completa. Algumas raças possuem chifres para a sua diferenciação. Sobre o uso comercial, são ótimos produtores de lã, devido a sua pele firme e macia são comumente utilizados para tapeçaria, edredons, estofados, etc. Podem também ser comercializados para corte, mas sua carne não é tão saborosa e carcaça possui baixo valor comercial.

 

Ovelha

É a fêma adulta, é a principal fonte de reprodução da espécie, apresenta dentição definitiva e sua carcaça tem um peso mínimo de 16kg. São utilizadas principalmente para a produção de lã, as raças mais comuns no Brasil são a Hampshere Down e Suffolk (que preferem climas mais amenos e alta disponibilidade de alimento), já as raças Polwarth e Merino australiano se adaptam bem a climas quentes e baixa disponilidade de pastagens, mas precisam de suplementos e vitaminas.

 

Borrego ou Borrega


São os filhotes (machos e fêmeas), com idade de 7 a 15 meses de vida, eles apresentam todos os dentes de leite até a presença da dentição definitiva, e apresentam carcaça com peso mínimo de 15kg.




 

Cordeiro ou Cordeira

São os filhotes com idade de até 7 meses, possuem todos os dentes de leite, possuem carcaça com peso mínimo de 6kg. São muito utilizados para a produção de carne, devido a sua maciez, sabor e aroma suavez, obtendo uma maior suculência.



 

Os produtos da ovinocultura

Como já dito anteriormente, os principais produtos da ovinocultura são a pele e lã de qualidade, carne e embutidos muito nutritivos, e ainda é possível fazer aproveitamento do leite e seus derivados.

A criação de ovinos tem despertado grande interesse entre os pecuaristas em todo o país, o Nordeste é responsável pela maior produção de todo o rebanho brasileiro, mas ao longo dos anos, esse tipo de criação está caminhando para o restante do país.

Porém, a procura por produtos desta espécie ainda é baixa, tanto pela falta de conhecimento, quanto pelo paladar, sendo esses, produtos que tem um gostinho peculiar - o que não agrada a muita gente - mas gosto é gosto.

 

UM MERCADO EM POTENCIAL

Como aqui mencionado, a procura pelos produtos ainda é baixa, principalmente pelo seu gostinho peculiar, mas que tem grande chance de aceitação e procura.

Quando se trata de comercialização, é importante conhecer o mercado cosumidor - principalmente da sua região - é importante fazer um estudo de mercado, a fim de buscar informações que te mostrarão se esses produtos serão aceitos pela população.

 

Produção de ovinos no Brasil

Segundo o Censo do IBGE (2017) - último coletado - o rebanho de ovinos foi composta de 13.789.345 cabeças. Isso significa, que a oportunidade de cresimento e evolução desses rebanhos é ainda maior, visto que existem diversas raças que produzem com qualidade e se adptam muito bem aos diversos climas presentes no nosso país.



 

A produção de carne ovina

A produção de carne bovina no Brasil é maior que todas as outras proteínas de origem animal, sendo consumido 35 kg por pessoa/ano. Já o consumo de carne ovina, fica em quarto lugar, com um consumo de 400 g por pessoa/ano. Segundo uma pesquisa realizada pela Embrapa, 25 milhões de brasileiros (12% dos consumidores) nunca nem experimentaram carne ovina (seja de carneiro ou cordeiro).

O mercado que mais consome carne ovina no Brasil, é a Região Sudeste, que buscam produtores do Rio Grande do Sul como fornededores, mesmo tendo que enfrentar problemas com logística.

Os criadores estão saindo da criação tradicional para ver a ovinocultura como um novo negócio em expansão, o que envolve novas práticas de manejo e criação, comercialização e gestão. Instituições como o Sebrae estão trabalhando com os prosutores para melhorar cada vez mais a produção, realizando alterações genéticas - com uma melhor seleção dos animais reprodutores e matrizes - alterações no manejo, induzindo cada vez mais uma melhor e mais eficiente produtividade.

 

Sucesso na produção

No caso de algumas propriedades que estão sendo auxiliadas pelo Sebrae RS, o que antes eram produzidos 80 cordeiros com cem (100) matrizes, conseguiram chegar a 140 cordeiros com cem matrizes.

Conforme o consumo global, mais precisamente o consumo interno brasileiro aumentar, fazendo com que haja uma elevação no preço, e ocupando um espaço maior no mercado interno, a produção também se elevará para suprir a demanda - podendo futuramente - haver chances de exportação dessa proteína para o mercado externo, assim como são feitas com outras proteínas animais (carne bovina, suína e frango).

 

Estratégias de mercado

Para que haja o efetivo sucesso na produção e comercialização da carne ovina no Brasil, é imprescindível que o produtor trabalhe com maior atenção e profissionalismo. Investindo em processos de gestão, trazendo inovações em toda a cadeia produtiva, o que auxiliará tanto na melhor produtividade, quanto na melhor tomada de decisões.

 

Quer saber como melhorar a sua produção de ovinos ou quer começar a produzir?

Vem falar com a ProZoo!


22 visualizações0 comentário